HGV – O BLOCO DO PÂNICO

Não é o filme O Quarto do Pânico, é literalmente O Bloco do Pânico. Mais uma vez os transtornos do Bloco G do Hospital Getúlio Vargas vem a tona, isso não é novidade pra ninguém. No dia 02 de setembro de 2014 em plena madrugada, os trabalhadores que estavam de plantão ouviram um estalo, em seguida parte do teto da sala de recuperação do bloco cirúrgico desabou, na época o Sindsaude denunciou aos órgãos competentes como a SES, Ministério Público Estadual, Ministério Público Federal, Ministério do Trabalho e a Diretoria Geral do hospital. Junto com os trabalhadores o sindicato ainda fez vários protesto dentro do hospital, inclusive foi divulgado por toda Imprensa. Na última madrugada de quinta-feira (29) os trabalhadores e pacientes, passaram pelo mesmo processo e transtornos, dessa vez não foi diferente, relataram que ouviram um estalo na edificação, o piso da sala de cirurgia tremeu e houve um barulho. A essa altura do campeonato o medo, o pânico e a insegurança tomou conta de todos que estavam no hospital. Imediatamente os Bombeiros, a CODECIPE e a Defesa Civil foram acionados, após as vistorias realizadas, tiveram que interditar o Bloco G3. Foram identificadas rachaduras e buracos no teto, dos 4 andares do hospital 2 foram interditados. Não houve vítimas, os pacientes foram transferidos as pressas para outros setores, todas as cirurgias eletivas serão remarcadas. O laboratório também foi remanejado para outro local. A presidenta Mirian Soares esteve no HGV, se reuniu com os trabalhadores e com a direção do hospital, a princípio ficou definido que irão aguardar o Laudo da Defesa Civil, a partir daí saberão que medidas poderão tomar. Se houvesse um investimento sério nos grandes hospitais do Estado como HGV, HBL, HOF, HAM e HR, não estaríamos passando por esse transtorno novamente. Os órgãos competentes disseram que a edificação não apresentou nenhum risco de desabamento. Até quando ouviremos isso? O caso é sério. Pense nisso……

Haniel Nunes – Secretaria de Comunicação e Imprensa

Este slideshow necessita de JavaScript.