FIM DE ANO, DE LUTA TRABALHO E RECONHECIMENTO.

O Brasil está passando por um momento difícil, e por tabela acaba atingindo os sindicatos, nem por isso a direção deixou de cumprir sua agenda e honrar com seus compromissos. Os diretores do Sindsaude continuam dentro dos hospitais levando informações, tirando dúvidas, apresentando o plano de cargos e carreiras, que está sendo alterado e aprovado pelos próprios trabalhadores. Ao término dessas reuniões, os trabalhadores estão sendo homenageados com sorteio de brindes, cestas natalinas e entrega de um KIT lanche. O nosso ideal está sendo alcançado, proporcionar momentos de lazer, descontração e harmonia entre os trabalhadores, além de saírem dessas reuniões bem informados e atualizados. Com certeza quem participa das reuniões do sindicato, não dá ouvidos a conversa de corredores e muito menos ao mimimi da oposição. Tivemos que correr, não tem sentido entregar as cestas natalinas após o natal, também não podíamos perder tempo com relação ao nosso PCCVS, as alterações são necessárias e fundamentais para o futuro da categoria. Semana passada foram realizadas reuniões nos grandes hospitais da capital, HOF, HR, HGV, HBL e HAM. Como tenho dito o Sindsaude está praticamente todos os dias em algum hospital do Estado, o caso é sério, enquanto uma equipe de diretores estavam em atividades na capital a outra equipe estava no interior. A direção atual continua fazendo a diferença. Nossa meta é apresentar as alterações do plano, a participação dos trabalhadores tem sido decisiva. Poderíamos citar vários hospitais, mas vou dar apenas dois hospitais como exemplo, os trabalhadores dos hospitais da Restauração e Getúlio Vargas deram exemplos de luta, de participação e de interesse coletivo nessas reuniões, é participando dessas reuniões que os trabalhadores obtém conhecimento, dão sugestões, se fortalecem e votam consciente. Para a presidenta Mirian Soares, estamos finalizando, restam algumas unidades e hospitais da capital, assim que as mudanças do PCCVS forem aprovadas pela categoria, será enviada para a mesa de negociação, onde esperamos que também seja aprovada pelo governo. Sabemos que não vai ser fácil, estamos consciente disso, mas o sindicato vem fazendo o seu papel, encaminhando para o governo, tudo aquilo que os trabalhadores aprovarem em assembléia. Pense nisso….

 

Haniel Nunes – Secretaria de Comunicação e Imprensa

 

Este slideshow necessita de JavaScript.