PARALISAÇÃO DE 24 HORAS EM BELÉM DE SÃO FRANCISCO.

Em assembléia geral realizada no dia 29 de janeiro, os trabalhadores da saúde do hospital Dr. José Alventino Lima de Belém de São Francisco, decidiram e aprovaram por uma paralisação de 24 horas. O prefeito não deu ouvidos aos trabalhadores, nem sinalizou nenhuma forma de diálogo com o sindicato, não definiu nenhuma data oficial para sentar com o sindicato e com os trabalhadores, então o sindicato encaminhou o que foi aprovado em assembléia pelos trabalhadores. Sendo assim, desde às 07:00 horas de ontem do dia 4 que os trabalhadores cruzaram os braços e paralisaram as atividades, eles ficaram concentrados em frente ao hospital, em seguida saíram em caminhada até a câmara dos vereadores onde se reuniram para fazer um balanço do ato e definir o rumo do próximo movimento. Os trabalhadores estão lutando pelos seus direitos, denunciam o atraso no pagamento do salário e cobram um calendário de pagamentos. Conforme negociado com a categoria, cobram as parcelas referente ao mês de dezembro do ano de 2016 que também não foram cumpridas, apesar de tudo isso os trabalhadores vem cumprindo com suas obrigações e deveres, o prefeito é que não vem cumprindo com seus direitos, inclusive ainda nem pagou o salário do mês de janeiro/2019. A paralisação de 24 horas foi encerrada hoje (5) às 07:00 horas da manhã. Tivemos a colaboração dos diretores do Sindsaúde Jassimo, Neide Calado, Fernando Enfermeiro e Rejane Santana. Para a presidenta Mirian Soares o tempo do coronelismo passou, direitos é para serem respeitados e cumpridos, enquanto estivermos no mandato sempre iremos sair em defesa dos direitos dos trabalhadores, custe o que custar. Os trabalhadores de Belém de São Francisco não retrocederam, não fugiram da luta, pelo contrário, demonstraram coragem e foram a luta, com garra, determinação e resistência, fazendo jus ao lema do sindicato, A RESISTÊNCIA E O SINDICATO SOMOS TODOS NÓS. Pense nisso…….

Haniel Nunes – Secretaria de Comunicação e Imprensa

Este slideshow necessita de JavaScript.

ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DO SINDSAÚDE

Conforme edital divulgado nos hospitais de Pernambuco e nos jornais de grande circulação, no dia 10 de janeiro de 2019, no SINDSPREV – Centro de Formação e Lazer, foi realizada a Assembléia Geral Ordinária do SINDSAÚDE, num auditório espaçoso, climatizado, ideal para eventos de grande porte. Os trabalhadores que participaram da assembléia assinaram uma ata e só os filiados receberam crachás para votação. O sindicato fez a sua parte, organizou tudo e ainda disponibilizou transporte para os trabalhadores participarem da assembléia. Tendo como ponto de Pauta; Prestação de Contas referente ao triênio 2016/2018. Deliberação do Processo Eleitoral referente ao próximo triênio e a Eleição da Comissão Eleitoral. A mesa foi formada pela Presidenta Mirian Soares, o Secretário Geral João Batista Fortunato, o diretor financeiro Tiago De Oliveira, o diretor jurídico Sandro Luiz, o advogado Dr. Roberto Pinto e o contador Reinaldo. Todos os presentes estavam atentos a explanação, o diretor Tiago apresentou em datashow todo material referente a prestação de contas do sindicato, explicando claramente, passo a passo cada item referente as finanças. Em seguida a mesa abriu inscrição para todos dá uma fala, se pronunciar ou fazer qualquer questionamento sobre o que foi apresentado no datashow, inclusive foi aberto espaço até para acompanhar e fiscalizar a contagem dos crachás durante a votação. Na verdade a assembleia geral é aberta para todos trabalhadores participarem, filiados ou não ao sindicato. A oposição ao sindicato também estavam presentes e participaram da assembléia, inclusive tiveram direito a fala e votação, que também é um direito deles é óbvio. Como foi definido, durante a votação, os que receberam os crachás, se deslocaram até a mesa e votaram colocando o seu crachá no local indicado para votação. Tivemos uma assembleia com mais de 500 trabalhadores, bem participativa, transparente e democrática. A prestação de contas apresentada pela direção do sindicato, foi votada e aprovada pela categoria. Em seguida conforme o edital, também foi definido e aprovado nessa assembleia a Deliberação do Processo Eleitoral referente ao próximo triênio, e a escolha da Comissão Eleitoral. Resumindo, todos os pontos de pauta acima apresentados, foram aprovados pelos trabalhadores. É com luta e determinação que a direção atual vem fazendo a diferença, levando informações praticamente todos dias em algum hospital do Estado, por isso que hoje a categoria pode participar, escolher, decidir, votar e aprovar o que ela quiser sem medo de ser feliz. O sindicato apenas encaminha o que a categoria decidir. Pense nisso…..

Haniel Nunes – Secretaria de Comunicação e Imprensa

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Ação fundamentada e eficaz na hora certa!

Ação fundamentada e eficaz na hora certa!

 

A convite da comissão de saúde da assembleia legislativa de Pernambuco, para participar de uma audiência pública, a direção do sindsaúde, ao constatar in loco, um auditório com aproximadamente vinte cadeiras, para um público aproximado de 180 participantes, ainda que todo chão fosse ocupado, mais de 70% ficaria de fora, por cima o recurso audiovisual, não permitindo a visualização dos dados, sem falar na péssima acústica. Diante da relevância do tema (prestação de contas do quadrimestre da saúde do estado), o sindsaúde alertou e propôs à liderança do governo para que providenciasse um espaço maior, o qual foi negado. A direção do sindsaúde verbalizou para os presentes sobre a importância de um local mais amplo. O sindsaúde criticou o sistema de audiovisual utilizado, considerando insuficiente, ou seja, a fonte utilizada, não dava para ler e, o som, impossível de entender.

Diante do exposto, o sindsaúde solicitou o esvaziamento do mini auditório, comprometendo-se, com os presentes, a encaminhar denúncia ao ministério púbico, solicitando anulação da referida audiência.

 

Responsabilidade e precisão nas ações, essa é a nossa prática.

 

SindSaúde – PE

Sindsaúde esvazia audiência pública da saúde na ALEPE!

A convite da Presidente da Comissão de Saúde e Assistência Social da Assembleia Legislativa de Pernambuco, Os diretores do Sindsaúde Tiago De Oliveira, Joao Batista Fortunato, Socorro Silva, Rejane Santana e Haniel Nunesl, junto com a presidenta Mirian Soares estiveram hoje(19/04) às 13:00 horas na ALEPE, para participar de uma audiência pública de apresentação do Relatório de Gestão em Saúde do Governo, referente ao III Quadrimestre de 2017. Antes do início da audiência o diretor Tiago De Oliveira já havia alertado ao secretário (líder do governo) que o auditório não era adequado para a realização da audiência, haviam 20 cadeiras, onde a demanda era pra mais de 180 pessoas, como o secretário não deu ouvidos a observação do representante do Sindsaúde, o mesmo(Tiago) resolveu expor o fato a todos aqueles que estavam no corredor, tentando adentrar ao auditório, com uma fala clara e contundente, todos entenderam a necessidade de realmente mudar de auditório. Iniciada a audiência todos tentaram se acomodar no auditório, uns ficaram sentados no chão, outros ficaram em pé, é a maioria ficaram do lado de fora, sem poder participar da audiência. Durante a apresentação do secretário, várias interrupções foram feitas pelos presentes, devido as más condições do auditório. Convocados pelo Sindsaude a se retirarem do auditório, e com gritos de “CANCELA A AUDIÊNCIA,” todos acabaram saindo do auditório e com isso a audiência foi cancelada. Como foi dito, o sindsaude entrará no ministério público solicitando uma nova audiência, num local adequado, para que todos possam participar dignamente, só assim de fato poderemos ter uma audiência de gabarito. O líder do governo perdeu a oportunidade de agir com sensatez. Esta direção sempre irá exigir respeito a população e a classe trabalhadora. Pense nisso….

 

Haniel Nunes – Secretaria de Comunicação e Imprensa

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Um ato inevitável

Hoje(15) pela manhã às 09 horas o Fórum dos Servidores Estaduais de Pernambuco, realizaram um ato público em frente à assembleia legislativa, sindicalistas e servidores cobraram do governo melhores condições de trabalho, resposta da pauta de negociação dos trabalhadores e principalmente assento da mesa especifica. Uma comissão formada pelo Fórum, seguiram até o palácio do governo, onde entregaram uma Carta Aberta ao Governador Paulo Câmara, exigindo agilidade e eficácia no processo de negociação. O Sindsaúde vem fazendo a sua parte, participando ativamente dos atos públicos em defesa dos direitos dos trabalhadores. Os diretores do Sindsaúde Fernando Enfermeiro, Gerivaldo, Jassimo, Maria do socorro silva, Moisés e Haniel Nunes, participaram e deram apoio ao ato coordenado pela CUT. Para a presidenta Mirian Soares tudo tem seu tempo, a categoria sabe que estamos na luta e que jamais iremos retroceder. Quem tem posto a mão no arado não pode mas olhar para trás. Pense nisso……..

Haniel Nunes – Secretaria de Comunicação e Imprensa

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

De alma lavada, areada, polida, enxugada…

Como é de conhecimento de todos, sendo reforçado nas mini assembleias, o sindsaúde foi contra as novas medidas a serem adotadas pelo sassepe, pois sempre entendeu que os dois pontos principais para o bom funcionamento do mesmo seria: O governo injetar mais recursos no, ou seja, praticar a paridade financeira, onde o governo colocasse o mesmo valor que arrecadou dos servidores e, montar uma estrutura de fiscalização tal qual os planos de saúde privados, praticam.  Esse é o ofício que enviamos ao governo, antes da aprovação da lei. Conforme ofício abaixo, fomos contra a introdução de OS, para administrar o sassepe, contra a entrada dos CTDs(contrato por tempo de serviço e, principalmente contra o desconto linear ( quem tem dependente ou não), pois, para o sindsaúde, quem não tem dependente etnia que pagar só o do titular. 

Link do Ofício

Agendando o café da manhã!

Já foram finalizadas as mini assembleias em todos hospitais, onde foram definidas as propostas da pauta, que será enviada para a negociação com o governo. Sem perca de tempo, hoje(4) a tarde os diretores do sindicato José Lins, Janice Vieira Nunes e Haniel Nunes, junto com a presidenta Mirian Soares deram início às mobilizações iniciando pelo Hospital Getúlio Vargas, onde já no próximo dia 10 será realizada uma reunião, com informes da negociação e como o sindicato não poderia esquecer, teremos também uma homenagem ao dia do servidor, com café da manhã e sorteios de brindes. Os demais hospitais podem aguardar, que faremos reuniões e o café da manhã em todos hospitais do Estado. O Sindsaude é luta, ação e lazer. Pense nisso……

 

Haniel Nunes – Secretaria de Comunicação e Imprensa

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

A resistência de Passira!

 Hoje(02) pela manhã o Sindsaude-PE encaminhou o que foi definido em assembleia pelos trabalhadores da saúde de Passira, um ato público, em defesa dos seus direitos, e contra o descaso da gestão, que descumpre a constituição e não paga direitos trabalhistas. O prefeito até o momento não atendeu as reivindicações dos trabalhadores, o PCCVS não foi implantado, o TAC – Termo de Acordo não foi cumprido, com isso os trabalhadores continuam recebendo abaixo do salário mínimo (complementa com gratificações), sem produtividade, sem direito a tirar licença prêmio, sem condições de trabalho, alimentação e um atendimento precário a população. Junto com o sindicato, os trabalhadores dos Postos de Saúde e da Unidade Mista Nossa Senhora da Conceição, se concentraram em frente ao FÓRUM Francisco Lima Bezerra, onde denunciaram em alto e bom som, as mazelas, implantadas pela prefeitura, e ainda cobraram da promotoria agilidade quanto a morosidade, e ação sobre as denúncias encaminhadas pelo sindicato ao FÓRUM, já que, o processo que trata do TAC, vem sendo empurrado com a barriga. Com mais de 2.500 informativos intitulado PREFEITO FICHA ENCARDIDA, os trabalhadores saíram em caminhada pelas ruas e centro da cidade, distribuindo panfletos pela feira, mercado, açougue, lojas, e de porta em porta, pelas casas dos moradores. O fato interessante é que todos que foram abordados, aceitaram o panfleto gentilmente, e mais uma vez passaram a conhecer a verdadeira situação caótica em que se encontra os trabalhadores e a saúde de Passira. Para a presidenta Miriam Soares o sindicato e os trabalhadores, estão fazendo o seu papel, não iremos recuar, estamos de olho, a luta é permanente e a Resistência Somos todos Nós. Os diretores do sindicato Assis Tiago De Oliveira, o Tiago, Ângela Maria Bezerra Lins Silvana Lucia Costa. Haniel Nunes Socorro Silva, Calado, Moisés e Ricardo, participaram ativamente do ato e da panfletagem. A Resistência de Passira continua companheiros.

Haniel Nunes – Diretor Sindical

Este slideshow necessita de JavaScript.