Nota de Repúdio

 

O SINDSAÚDE, veem perante a categoria da saúde, repudiar a forma utilizada, para suspensão do ato de bloqueio do
trânsito, ocorrido em frente ao HR. Embora o SINDSAÚDE, tenha, através das redes sociais, orientado os concursados, bem
como o SATENPE, quanto aos equívocos praticados, e que resultaria num final desastroso, a saber:
– Orientamos que greve surge de dentro pra fora, nunca do sindicato para categoria;
– Que a pauta era uma forma de enganar os novos concursados, pois a insalubridade já estava incorporada na gratificação de
plantão, o adicional noturno e a correção do base de R$ 774,00, já estavam na pauta do SINDSAÚDE, entregue ao governo;
– Que greve permanente em semáforo, não é greve geral, pois é ato localizado, e, por ser em semáforo, estaria mais pra greve
do DETRAN, não da saúde.
– Que a greve não podia ser chamada de geral, pois sua forma e conteúdo não a caracterizava, até porque, infiltraram pessoas
pagas, a adesão era insuficiente, os poucos trabalhadores (meia dúzia de novos concursados), em poucos hospitais, estavam
assinando ponto, o que caracterizaria abandono de plantão, podendo resultar em inquérito administrativo, pondo em risco o
período probatório. Sem contar que os hospitais estavam funcionando normalmente.
– Que alguns do comando de greve estavam mentido para os concursados informando que ao final da greve negociariam as
faltas, algo como se sabe, que o governo pode descontar os dias parados.
– Que a greve teria que ser classista e não política partidária, mas o que se viu foram partidos e sindicatos que não são da
categoria (INCLUSIVE O PRESIDENTE DO SATENPE, QUE NÃO É SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL), a frente do
movimento e fornecendo ajuda financeira e de material, porém desvirtuando o movimento e com interesses eleitorais, futuro.
– Que o SATENPE, estava levando os concursados para guilhotina;
– Que o satenpe estava praticando a política anti-sindical, induzindo e, até forçando a desfiliação dos trabalhadores filiados ao
SINDISAÚDE.
– Que provavelmente, o governo estaria acompanhando e, certamente, verificando esses vacilos, pra encaminhar à justiça.
– Que na reunião da CUT (12/02/2020), os diretores do satenpe, inclusive seu presidente, foram orientados a corrigir os
procedimentos, mas ignoraram. Diante da possibilidade do governo passar o rolo compressor, devido as irregularidades,
inclusive se descontasse o salário dos trabalhadores, o presidente do SATENPE afirmou que se responsabilizaria, mostrando,
assim, imaturidade e irresponsabilidade a frente de uma categoria, limitada aos novos concursados, não detentores de
conhecimento e experiência no movimento sindical.
Embora todos os alertas feitos pelo SINDSAÙDE, não tenham sido assimilados pelos concursados, muito menos pelo
SATENPE, mas certamente, observados pelo governo, não temos dúvidas que o governo os utilizou para encaminhamento
judicial, ainda assim, o SINDSAÚDE, repudia FERVOROSAMENTE a forma empregada, visto outros meios mais democráticos
existirem pra solução do conflito

 

SindSaúde/PE